Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

domingo, 4 de junho de 2017

Evangelho de Mateus 9, 36-10,8

Missa de 18 de Junho de 2017

Resultado de imagem para desenho REINO DO CÉU ESTÁ PRÓXIMO amiguinhos de Deus
 11º DOMINGO DO TEMPO COMUM 
O REINO DO CÉU ESTÁ PRÓXIMO! 

 Leituras
Primeira Leitura Ex 19,2-6a
Salmo Sl 99, 2.3.5 (R. 3c)
Segunda Leitura Rm 5,6-11
Evangelho Mt 9,36-10,8
Liturgia Diária

 Mensagem Principal

Hoje nos reunimos em Jesus Cristo para celebrar a festa da vida, pois Ele é o Bom Pastor que vem ao nosso encontro. Jesus age com compaixão, e é em seu exemplo que devem ser fundamentadas a nossa fé e a nossa missão. O Reino que Jesus anunciou se edifica através de nossas relações fraternas, pois somente quando olharmos para o próximo como para nós mesmos é que estaremos construindo, de fato, o Reino de Deus em nós.
Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

Mensagem

O texto que hoje nos é proposto inclui a introdução e uma parte da descrição do chamamento e do envio dos discípulos.
Na introdução (cf. Mt 9,36-38), Mateus explica que essa missão à qual Deus chama os discípulos é expressão da solicitude de Deus, que quer oferecer ao seu Povo a salvação. Mateus – que escreve para uma comunidade onde existia um número significativo de crentes de origem judaica – vai usar, para transmitir esta mensagem, imagens retiradas do Antigo Testamento e muito familiares para os judeus.
Nas palavras de Jesus, Israel é uma comunidade abatida e desnorteada, cujos pastores (os líderes religiosos judeus) se demitiram das suas responsabilidades. Eles são esses maus
pastores de que falavam os profetas (cf. Ez 34; Zac 10,2). O coração de Deus está, no entanto, cheio de compaixão por este rebanho abatido e desanimado; Deus vai, então, assumir as suas responsabilidades, no sentido de conduzir o seu Povo para as pastagens onde há vida.
Duas notas ainda: a referência à “messe” indica que essa missão é urgente e que já não há muito tempo para a levar a cabo (nos profetas, a “messe” aparece ligada à imagem do juízo iminente de Deus – cf. Is 17,5; Jer 13,24; Jl 4,12-13); a referência ao “pedido” que deve ser feito ao Senhor da “messe” é um apelo a que a comunidade contemple a missão como uma obra de Deus, que deve ser levada a cabo com os critérios de Deus (por isso, a comunidade deve rezar – a fim de se aperceber dos projetos, das perspectivas e dos critérios de Deus – antes de empreender a tarefa de anunciar o Evangelho).
Vem depois o chamamento dos discípulos (cf. Mt 10,1-4). Mateus começa por deixar claro que a iniciativa é de Jesus: “chamou-os”. Não há qualquer explicação sobre os critérios que levaram a essa escolha: falar de vocação e de eleição é falar de um mistério insondável, que depende de Deus e que o homem nem sempre consegue compreender e explicar.
Depois, Mateus aponta o número dos discípulos (“doze”). Porquê exatamente “doze”? Trata-se de um número simbólico, que lembra as doze tribos que formavam o antigo Povo de Deus. Estes “doze” discípulos representam simbolicamente a totalidade do Povo de Deus, do novo Povo de Deus.
Em seguida, Mateus define a missão que Jesus lhes confiou (“deu-lhes poder de expulsar os espíritos impuros e de curar todas as doenças e enfermidades”). Os espíritos impuros, as doenças e as enfermidades representam tudo aquilo que escraviza o homem e que o impede de chegar à vida em plenitude. A missão dos discípulos é, pois, lutar contra tudo aquilo – seja de carácter físico, seja de carácter espiritual – que destrói a vida e a felicidade do homem (podemos dizer que a missão dos discípulos é lutar contra o “pecado”).
Finalmente, Mateus aponta os nomes dos “Doze” (Simão Pedro, André, Tiago filho de Zebedeu, João, Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, Tiago filho de Alfeu, Tadeu, Simão o cananeu e Judas Iscariotes). As listas apresentadas pelos vários evangelistas apresentam diferenças, seja na ordem dos nomes, seja nos próprios nomes (Tadeu é, na lista de Lucas, Judas). Em qualquer caso, Pedro encabeça sempre a lista e Judas Iscariotes fecha-a. Estes dois são talvez as duas personagens mais fortes e que, ao longo da caminhada com Jesus, devem ter assumido algum protagonismo no grupo dos discípulos.
O último passo é o envio dos discípulos – evidentemente antecedido de um conjunto de instruções para a missão (cf. Mt 10,5-8).
Em primeiro lugar (vers. 5-6), Jesus vai definir os destinatários da missão: numa primeira fase, são “as ovelhas perdidas da casa de Israel”. Esta interpretação “restritiva” da missão explica-se a partir da forma como o cristianismo se expandiu em termos geográficos: primeiro pela Palestina e só depois fora das fronteiras da Palestina; provavelmente, também terá a ver com as tensões existentes na comunidade de Mateus, onde alguns judeo-cristãos tinham dificuldade em aceitar que o Evangelho fosse anunciado aos pagãos. Mais tarde, Mateus vai deixar claro que, na segunda fase, o anúncio se destina, também aos pagãos. Porquê? Porque a “casa de Israel” rejeitou Jesus e a sua proposta do “Reino” (cf. Mt 21,43).
Em segundo lugar (vers. 7-8a.b.c.d), apontam-se os sinais que devem acompanhar o anúncio da chegada do “Reino”: a cura dos doentes, a ressurreição dos mortos, a expulsão dos demônios. O anúncio não deve constar de palavras apenas, mas de gestos concretos que sejam sinal vivo dessa libertação que o “Reino” traz.
Em terceiro lugar (vers. 8e), aparece um apelo à gratuidade: os discípulos não podem partir para a missão a pensar em colher dividendos pessoais, ou em satisfazer interesses egoístas. A expressão “recebestes de graça, dai de graça” convida a fazer da própria vida um dom gratuito ao “Reino”, sem esperar em troca qualquer paga.
Repare-se como em todo o discurso a missão dos discípulos aparece como um prolongamento da missão de Jesus. O anúncio, que é confiado aos discípulos, é o anúncio que Jesus fazia (o “Reino”); os gestos que os discípulos são convidados a fazer para anunciar o “Reino” são os mesmos que Jesus fez; os destinatários da mensagem que Jesus apresentou são os mesmos da mensagem que os discípulos apresentam… Ao apresentar a missão dos discípulos em paralelo e em absoluta continuidade com a missão de Jesus, Jesus convida a Igreja (os discípulos) a continuar na história a obra libertadora que Ele começou em favor do homem.

Fonte: Comentário à Liturgia

Ideia de roteiro para teatro

(PA entra todo preocupado).

PA: Ai, ai meu Deus! Como vou fazer isso? E agora?

(PB: Entra, cumprimenta e percebe que PA esta estranho).

PB: O que aconteceu PA? Está com uma cara de preocupado. 

PA: Claro! Não sei como vou fazer!

PB: Não sabe como fazer o quê? 

PA: Quero ajudar Jesus!

PB: Ajudar Jesus, como assim?? 

PA: Olha só presta bastante atenção: no Evangelho de hoje Jesus fala para seus discípulos assim: "Vai! Procura todas as ovelhas perdidas e depois fala pra elas que o Reino dos céus está próximo". 

PB: Sim, Jesus disse isso. Mas Jesus pediu para os discípulos e não pra você. 

PA: Eu sei tá! Mas acontece que eu já aprendi que preciso para ser discípulo de Jesus. 

PB: A é? Você sabe é? Então me diz o que precisamos para ser discípulos de Jesus? 

PA: Muito fácil, precisamos aceitar Jesus. Eu já aceitei! Precisamos Amar Jesus. Eu já amo muito muito Jesus! E precisamos imitar Jesus. Isso eu tento, mas às vezes escorrego um pouco sabe?!

PB: Ah então se é assim eu também posso ser discípulo de Jesus! 

PA: Siiiiiiim, claro que sim! Mas você precisa, assim como eu, fazer o que Jesus pediu. Afinal também somos seus discípulos. 

PB: É verdade! Então vou te ajudar. Mas PA, acabei de pensar uma coisa, onde vamos achar essas ovelhas?? 

PA: Não faço ideia! É por isso que estava preocupado quando cheguei. Não sei nem onde começar a procurar. 

PB: Eita eu também não! E agora PA?? 

PA: Ai me ajuda a pensar vai?

(E os dois começam a andar de um lado para o outro tentando pensar em algo... Então os dois falam ao mesmo tempo)

PA e PB: Já sei!!! Vamos ligar pra tia Catequista. 

PA: Sim, lembrei que ela mora na roça. Acho que lá deve ter umas ovelhinhas né mesmo? 

PB: Verdade! Podemos perguntar se ela leva a gente lá?

PA: Vou pegar o celular e liga pra Catequista. Alô, Tia Catequista? 

C: Oi PA tudo bem com você? 

PA: Oi tia tudo bem sim! Estou aqui com o PB e queremos saber se a senhora poderia nos ajudar?

C: Claro crianças, o que vocês precisam? 

PA: No evangelho de hoje Jesus fala para procurarmos as ovelhas perdidas e passar um recado muito importante pra elas. Então lembramos que a senhora mora na roça e queremos saber se poderia nos levar para procurar umas ovelhinhas perdidas. Porque aqui na cidade, acho difícil encontrar uma ovelha né?

C: Ai ai crianças rsrsrs...to sentindo cheiro de confusão no ar. Mas me digam onde estão que irei até vocês pra explicar tudo. 

PA: Oba!! Estamos na Igreja.

C: O que, na Igreja?? PA não pode usar telefone dentro da Igreja.

PA: Mas a missa já acabou! 

C: Não importa, não pode usar telefone dentro da Igreja crianças. É falta de respeito sabiam? Desliguem agora o telefone. Por sorte estou aqui perto de vocês, já estou indo aí.

(PA Desliga o telefone)

PA: Xiiiiii, levamos uma bronca. Não pode usar telefone dentro da igreja. Ai não sabia?!

C: Oiiii pessoal! Crianças agora me contem que recado é esse que Jesus mandou para as ovelhas! Não entendi nada.

PA: Ué, precisamos procurar as ovelhas e falar pra elas que o Reino do Céu está próximo. É isso que Jesus pediu no Evangelho.

C: Ai meus amores, vocês são demais, a imaginação de vocês vai longe! (Risada) Mas vou explicar pra vocês. Quando Jesus diz: "Ide primeiramente às ovelhas perdidas e pelo caminho, proclamai que o Reino do céu está próximo", Ele quer dizer que os discípulos teriam que ir primeiro ajudar às pessoas que estavam perdidas por causa do pecado.

PB: Ué, então as ovelhas na verdades são pessoas??? 

C: Sim. Jesus é o nosso Pastor e todos nós somos suas ovelhas 

PA: Mas se as ovelhas perdidas são as pessoas que viviam no pecado, porque Jesus pediu para os discípulos irem atrás delas? 

C: Jesus deu poder aos discípulos e os orientou a primeiro ir em busca dos pecadores, que são os que mais precisam, para que pudessem salvá-los. Assim poder anunciar a todos que o Reino do céu está próximo. 

PA: Mas se é um pecador, então não poderá entrar no Reino do Céu, né? 

C: Se a pessoa que pecou, se arrepender de todo o coração, aceitar e amar a Jesus como seu Rei e Salvador e procurar não pecar mais, ele pode sim entrar no reino do céu, pois será perdoar por Jesus. Afinal todos nós sempre pecamos. O que precisamos é sempre evitar o pecado. 

PB: Mas o que podemos fazer para afastar o pecado pra bem longe de nós? 

C: Devemos sempre rezar e seguir através da Aliança, os mandamentos de Jesus. Só assim conseguiríamos ficar longe do pecado. 

PB: Aliança? Como assim? 

C: Aliança significa união. Deus nos propôs essa união para que possamos estar sempre em comunhão com Ele. Mas para estarmos nessa aliança com Deus, precisamos seguir os mandamentos e conhecer os testemunhos deixados por Jesus e assim receber dele as suas bênçãos. Quando essa aliança é quebrada pelo não cumprimento dos mandamentos, o pecado é cometido. Aí o pecado nos impede de recebermos as bênçãos que Deus quer derramar em nossas vidas. O pecado faz essa separação entre suas ovelhas e o pastor, assim podemos nos tornar ovelhas perdidas. Entenderam Crianças? 

PA e PB: Então precisamos sempre estar unidos a Deus através da oração e de bons comportamentos?

C: Isso mesmo! Mas antes de finalizar, preciso dar os parabéns pra vocês crianças. É muito lindo que vocês queiram ser discípulos de Jesus, pois assim estão fazendo a vontade de Deus. Todos nós somos escolhidos a ser discípulos de Jesus para cumprir a missão de anunciar o Reino do Céu. Essa linda missão deve continuar até que todos conheçam e amém a Deus. Pois de graça recebemos muito amor e cuidado de Deus e de graça devemos dar todo nosso amor.

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Oração

Senhor, peço que me envie o teu Espírito Santo, para que eu possa continuar com as minhas mãos, os meus pés, a minha boca, os meus olhos e os meus ouvidos, a realizar essa linda missão de anunciar a todos o Seu amor e Seu reino. Quero ser a Tua voz senhor para todas as ovelhas perdidas que precisam se reconciliar contigo podendo assim se livrarem do pecado e da tristeza.

Amém

2 comentários:

  1. Queridos amigos do cantinho dos anjos,a paz!gostaria de saber se podem cooperar comigo para preparar a missa do dia 16/07.Fui escalada para preparar as crianças para o 15 Domingo Comum.Vou ficar muito agradecida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mj BBatista!
      O Evangelho do dia 16 de julho será publicado no final de semana dos dias 01 e 02 de julho. Publicamos sempre com duas semanas de antecedência!!
      Que Deus continue te abençoando e te capacitando a evangelizar os pequeninos do Senhor!!
      Abraço Fraterno,
      Turminha do Cantinho dos Anjos

      Excluir