Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Evangelho de Lucas 18, 9-14

Missa de  23 de Outubro de 2016



Resultado de imagem para Evangelho de Lucas 18, 9-14
Fonte: www.amiguinhosdedeus.com

30º DOMINGO DO TEMPO COMUM
OUTUBRO MÊS DAS MISSÕES
DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 
E DA OBRA PONTIFÍCIA DA 
INFÂNCIA MISSIONÁRIA
                                               
Leituras
Primeira Leitura Eclo 35,15b-17.20-22a
Salmo 33 / 34
Segunda Leitura 2Tm 4,6-8.16-18
Evangelho Lc 18,9-14

Mensagem Principal
Nós podemos, sim, e devemos agradecer a Deus tudo o que temos e tudo o que somos, porque recebemos tudo de Deus. Mas nossa gratidão deve partir de uma profunda humildade, de um reconhecimento sincero de que nada somos e nada podemos fazer de bom sem a graça de Deus. E de forma alguma temos o direito de julgar e desprezar os outros, pois Deus não despreza um coração contrito e humilhado.
(Fonte: folheto Nova Aliança)

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

Homilia Diária
O FARISEU E O COBRADOR DE IMPOSTOS

Nesta parábola, temos a oposição radical entre dois orantes e dois tipos de oração arrogante e auto-suficiente do fariseu e a oração confiante e humilde do publicano. A oração do fariseu é típica das tradicionais orações de Israel. Aparentemente é uma oração de agradecimento a Deus. Contudo, por seu conteúdo, adquire outro sentido.
O fariseu “agradece” por ser um justo, observante, diferenciado e separado dos “pecadores” como o publicano que ali estava presente.
O fariseu coloca-se diante de Deus numa atitude de senhor e não de servo. Faz negócio com Deus: Eu dou-te as minhas boas obras e Tu és obrigado a dar-me a salvação eterna. Toma uma posição de igualdade com Deus, na medida em que se sente com direitos diante de Deus.
O fariseu colocou-se como ponto de referência em relação ao pecador e ao próprio Deus. Na condição de superioridade em relação ao pecador e na de quase igualdade, perante Deus.
Sua oração é uma oração de auto-suficiência e de desprezo aos outros, que, em nome de Deus, fundamenta uma posição de privilégios e poder.
O outro orante, o publicano, tem a atitude de um pobre que confia totalmente em Deus. Ele, humilhado e excluído pelo sistema religioso que o considera um pecador, é consciente de sua pequenez e de sua dependência de Deus. À medida que o “justo” rompe a comunhão com o próximo, ele rompe a comunhão com Deus.
O pecador relaciona-se apenas com Deus e não se mete na vida do vizinho.
O pecador, pelo contrário, pensa e pensa bem. Pois ele nada tem para dar em troca a Deus e que não tem quaisquer direitos a reclamar dele. De seu tem apenas o pecado e dele espera apenas o perdão. A parábola não é, pois, sobre a oração, mas sobre a justificação diante de Deus e pretende responder à eterna pergunta: Como fazer a vontade de Deus neste mundo? Cada um dos personagens apresenta-nos a sua resposta e a sua atitude de vida.
O pecador se salva, torna-se justo diante de Deus, não pelas obras humanas, pelo seu esforço no cumprimento de determinados preceitos, mas pela graça de Deus; ou seja, só pelo poder de Deus é que o homem é salvo, e não pelo que é ou faz. Acolher Jesus e a sua Palavra numa fé confiante, é o único caminho da salvação.
Alguém perguntará: Então, as nossas boas obras nada valem diante de Deus? O problema não deve ser colocado desse modo. Aqui não se trata de um problema de conteúdo, isto é, de obras, mas da perspectiva com que se fazem as obras. Expliquemos: O fariseu não foi condenado pelas boas obras que praticou, mas por confiar apenas nelas e nas suas próprias forças para fazê-las. Foi condenado por não as atribuir a Deus nem as relacionar com Ele.
A lição que devemos tirar deste texto é: O cristão deve estar atento para não abrir a porta à tentação da soberba perante o outro homem e da auto-justificação perante Deus. Pelo contrário, optará por uma atitude de caridade e grande compreensão em relação às outras pessoas como sempre fez Jesus e por um esvaziamento de si, para que Deus o encha do seu perdão e da sua misericórdia.

(Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/o-fariseu-e-o-cobrador-de-impostos-lc-189-14/)

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Oi Personagem B!! Tudo bem?

Personagem B: Tudo!

Personagem A: Nossa que cara feia é essa? Estamos chegando para a catequese e você está com essa cara!!

Personagem B: Nada não!! Você que está muito feliz!! Pelo visto conseguiu fazer a tarefinha que a Catequista nos pediu!!

Personagem A: Estou feliz mesmo!! Consegui sim fazer a terefinha!! E amei muito fazer!

Personagem B: Você amou?! Achei muito difícil fazer o que a nossa Catequista nos pediu!! Você não achou difícil fazer uma lista em que nos parecemos com Jesus e em que precisamos melhorar para ficar mais parecido com Ele?

Personagem A: Eu não achei difícil!! A minha lista está ótima! Não tiver problema em fazer não! Descobri que sou muito parecido com Jesus!!

Personagem B: Está falando sério? Não consegui fazer a minha direito não!

Personagem A: Mas como você fez?

Personagem B: Então eu me coloquei de joelhos, pedi que o Espirito Santo me iluminasse e peguei a caneta para começar a escrever!! Mas não consegui, pois acho que me falta MUITO para ser parecido com Jesus!!

Personagem A: Não acredito... Olha eu nem precisei pedir para que o Espirito Santo me iluminasse... simplesmente comecei a escrever... afinal sou muito parecida com Jesus porque sou uma pessoa caridosa, amo a todos, sou inteligente, gosto de contar histórias, rezo todas as noites...

Personagem B: Pode parar por aí!! Não é bem assim! Você não empresta os brinquedos, desobedece os pais...

Personagem A: Pode parar!! A lista é minha! Tenho certeza de que a nossa Catequista vai amar!!

Entra a Catequista

Catequista: Olá crianças!! Vamos para a Catequese?

Personagem A: Eu posso ir sim!! Agora o Personagem B não pode não!! Ele não fez a tarefa que você passou!! Agora eu fiz e descobri que sou praticamente igualzinha a Jesus!! Então posso entrar, sentar bem na frente!! Agora o Personagem B tem que sentar lá trás!

Personagem B: Até parece!!

Catequista: Calma crianças!! Vocês estão parecendo com o Fariseu e Cobrador de Impostos do Evangelho da missa de hoje!!

Personagem A: Como assim?

Catequista: Vou explicar. Entraram no Templo para rezar o Fariseu e o Cobrador de Impostos.

Personagem B interrompe e pergunta: o que é Fariseu?

Catequista: Fariseu é um judeu que obedecia as leis religiosas e não se relacionava com as pessoas que eles achavam que eram pecadoras. Naquela época o cobrador de impostos era visto como um pecador, pois cobrava impostos para o governo.

Personagem B: Ah entendi!! Continua!

Catequista: Então os dois subiram no Templo para rezarem. O fariseu se achava o mais justo, o mais honesto, o que merecia mais as coisas de Deus pois fazia jejum e rezava!! Também julgava ser uma pessoa sem pecado e não se misturava com pessoas que ele achava que eram pecadores!

Personagem A: Que coisa feia ele fazia!! Nossa acho mesmo que eu estava me parecendo com ele! Só estava vendo minhas qualidades e me achando!!

Catequista: Pois é!! Já o cobrador de impostos se colocava como pecador, que tinha vergonha até de olhar para céu e só pedia a Deus que tivesse piedade Dele!

Personagem B: Entendo bem Catequista, pois me sinto assim!!

Catequista: O que Jesus quer nos ensinar com esta história é que um bom cristão deve estar atento com as suas atitudes para que sejam atitudes de amor, humildade e que se preocupem em ser amigos de todos sem julgar as outras pessoas. Devemos também ter um coração agradecido a Deus por tudo na nossa vida!

Personagem A: Agora estou entendendo!! Eu estava muito errada com a minha lista!!

Catequista: Prestem atenção no que vou falar agora: Jesus é o nosso irmão mais velho! Todo irmão mais velho ensina os mais novos como fazer as coisas!

Personagem B: Lá em casa foi assim... eu sou irmão mais velho e ensinei meu irmão a engatinhar!

Catequista: Isso mesmo! Os irmãos mais novos ficam olhando e aprendendo com o irmão mais velho! É assim que devemos fazer!! Devemos aprender com o nosso irmão mais velho, Jesus, como devemos viver!! Assim ficaremos mais e mais parecidos com Ele!!

Personagem A: Nossa que legal!! Quero ficar grudadinho com Jesus para ficar mais e mais perecido com Ele!

Personagem B: Eu também!!

Catequista: Então vamos fazer uma oração e pedido ao Espírito Santo que nos ajude nesta missão!! Assim teremos um coração cada vez mais bonito!

Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho

A sugestão para trabalhar esse Evangelho é a seguinte: sentar às crianças em circulo para fazer a reflexão sobre o Fariseu e o Cobrador de Impostos. Explicar sobre cada um deles e mostrar em quais momentos somos mais parecidos com o fariseu e quais somo mais cobradores de impostos.
Resultado de imagem para contorno de corpo humano
Entregar para cada criança uma folha com um contorno de boneco, como esse aqui!

A dinâmica é a seguinte: este boneco nos representa!! Mas está faltando muitas coisas nele como olhos, nariz, boca...
A sugestão é fazer uma reflexão sobre como podemos ficar mais parecidos com Jesus!!
Para isso podemos fazer as seguintes perguntas:
- Como são os olhos de Jesus? E seu olhar é como? Esperar que as crianças participem respondendo e conduzir para que elas entendam que o olhar de Jesus é um olhar de compaixão, amor, vê as necessidades dos outros...
- E a boca de Jesus? Como é que Ele fala com  as pessoas?
- E o coração?? Como são os sentimentos de Jesus?
- As mãos de Jesus nos ensinam fazer o que?
- E os pés de Jesus?? Por onde Jesus andava o que Ele espalhava??
Para cada reflexão, as crianças vão desenhando no boneco os olhos, boca.... E após cada reflexão, pode ser feito uma oração como: Senhor me ajude a ter olhos iguais aos seus. Que eu saiba ver as necessidades dos meus irmãos e agir sempre com compaixão!!
Assim as crianças vão criando referências com Jesus! Isso vai aproximar cada criança de Jesus! Para ficarmos parecidos com Jesus, precisamos aprender com Ele a cuidar das nossas atitudes!!

Mostrar para as crianças que depois de toda a reflexão e oração, ficamos mais parecidos com Jesus! Então pode ser dado para cada criança uma máscara com o rosto de Jesus! Assim elas podem explicar para seus pais como podemos ficar mais parecido com o nosso irmão mais velho, Jesus!

Oração

Querido Jesus,

Quero pedir nesse momento que o Espirito Santo venha em meu coração para que eu tenha um coração agradecido a Deus e que ame sem julgar ninguém. Que Ele venha abrir os meus olhos para eu ter atenção nas minhas atitudes.
Jesus, quero te imitar e assim ficar cada vez mais parecido com o Senhor!

Amém

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada pelo comentário Francisco!
      Comentários assim fortalecem muito nossa missão!
      Fique com Deus!
      Abraço Fraterno!
      Turminha do Cantinho dos Anjos

      Excluir
  2. Gostei muito da reflexão da parábola agora eu entendi

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo carinho Renata!!
    Que Deus continue te abençoando!
    Abraço fraterno!!

    ResponderExcluir