Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Evangelho de Lucas 2,16-21

Missa de 01 de janeiro de 2016


SOLENIDADE DE SANTA MARIA MÃE DE DEUS
                                               
Leituras
Primeira Leitura Nm 6,22-27 
Salmo 66/67
Segunda Leitura  Gl 4,4-7
Evangelho Lc 2,16-21

Mensagem Principal
 Irmãos e irmãs, na alegria de começar um novo ano de trabalhos e oração, a Santa Madre Igreja nos convida a celebrar a solenidade de Santa Maria mãe de Deus, o mais importante título com que a cristandade, desde as suas origens, tem honrado a Santíssima Virgem. Assumindo em seu ventre a Segunda Pessoa da Trindade, a Virgem de Nazaré torna-se a Mãe de Deus, e estende, pela graça da humanidade do Cristo, sua divina maternidade a todos os homens. Confiantes, consagremos o ano que hoje começa aos cuidados desta Mãe admirável, para que, sob a proteção de seu manto maternal, sejamos perseverantes na fé, constantes na oração e solícitos no servir.  (Fonte: folheto Nova Aliança)

DICA: Descobrimos esta fanpage linda do Facebook: @desenhandomaria 

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MARIA, MÃE DE DEUS

A Igreja celebra no dia 1º de janeiro, no início do ano civil, a solenidade de Maria, Mãe de Deus. Celebramos, também o ano novo e a paz, que é dom de Deus. No documento pontifício do Papa Paulo VI, a Exortação Apostólica “Marialis Cultus” encontramos uma rica doutrina sobre a figura e o papel de Maria, a mãe de Jesus Cristo e por isso Mãe de Deus. Diz-nos o Papa: “o tempo do Natal constitui uma memória continuada da Maternidade divina, virginal e “salvífica”, daquela cuja “intemerata virgindade deu a este mundo o Salvador”. Assim, na solenidade da Natividade do Senhor, a Igreja, ao adorar o divino Salvador, venera também a sua gloriosa Mãe; na Epifania do Senhor, ao mesmo tempo que celebra a vocação universal para a salvação, contempla a Virgem Maria, verdadeira Sede da Sabedoria e verdadeira Mãe do Rei, que apresenta à adoração dos Magos o Redentor de todas as gentes (cf. Mt 2,11); e na festa da Sagrada Família, Jesus, Maria e José (Domingo dentro da oitava da Natividade do Senhor), considera, venerá- vel, a vida de santidade que levam, na casa de Nazaré, Jesus, Filho de Deus e Filho do homem, Maria, sua Mãe, e José, homem justo (cf. Mt 1,19). No ordenamento do período natalício, conforme foi recomposto, parece-nos que as atenções de todos se devem voltar para a reatada solenidade de Santa Maria Mãe de Deus. Esta, colocada como está, no dia 1° de janeiro, destina-se a celebrar a parte tida por Maria neste mistério de salvação e, a exaltar a dignidade singular que daí advém para a “santa Mãe..., pela qual recebemos... o Autor da vida”; é, além disso, ocasião propícia para renovar a adoração ao recém-nascido “Príncipe da Paz”, para ouvir ainda uma vez o grato anúncio angélico (cf. Lc 2,14), para implorar de Deus, tendo como medianeira a “Rainha da Paz”, o dom supremo da paz. Por isso, na feliz coincidência da Oitava do Natal do Senhor com a data auspiciosa de 1° de janeiro, instituímos o Dia Mundial da Paz, que vai recebendo crescentes adesões e já madura nos corações de muitos homens frutos de paz. Maria é a Virgem que sabe ouvir, que acolhe a palavra de Deus com fé; fé, que foi para ela prelúdio e caminho para a maternidade divina, pois, como intuiu Santo Agostinho, “a bem-aventurada Maria, acreditando, deu à luz Aquele (Jesus) que, acreditando, concebera”; na verdade, recebida do Anjo a resposta à sua dúvida (cf. Lc 1,34-37), “Ela, cheia de fé e concebendo Cristo na sua mente, antes de o conceber no seu seio, disse: “Eis a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38); fé, ainda, que foi para Ela motivo de beatitude e de segurança no cumprimento da promessa: “Feliz aquela que creu, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido” (Lc 1,45); fé, enfim, com a qual ela, protagonista e testemunha singular da Encarnação, reconsiderava os acontecimentos da infância de Cristo, confrontando-os entre si, no íntimo do seu coração (cf. Lc 2,19.51). Feliz ano novo para todos. Sejamos homens e mulheres da Paz e construtores da Paz. Que a Virgem Maria, Mãe de Deus, Mãe da Igreja e nossa Mãe, abençoe a todos neste ano de 2017 que estamos iniciando. D. José Valmor Cesar Teixeira, SDB - Bispo Diocesano

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Vovó, vovó... eu vim passar esta semana das férias com a senhora... tá feliz?

Vovó: Claro, meu amor e como eu não poderia estar? seja muito bem vindo!

Personagem A: Obrigada, vovó...sabe, antes de vir para cá passei na igreja e conversei com o Padre ele estava lendo um livro, falou que estava preparando a conversa com o povo na missa do ano novo.

Vovó: Que legal... é um momento muito especial mesmo, eu adoro o ano novo!

Personagem A: Vovó, mas este ano de 2017 vai ser ainda mais especial vamos ter mais pertinho uma GRANDE amiga, a Nossa Mãezinha do Céu.

Vovó: É verdade, ouvi mesmo estes dias, será um ano que vamos considerar o ano Mariano. Que alegria, vamos aprender muito sobre ela.

Personagem A: Vamos, eu disse para o Padre que eu gostei muito da ideia, porque gosto muito dela. Ele me disse que quando gostamos de uma pessoa, vamos ficando parecidos com ela, queremos ter as suas qualidades, porque nos faz bem, ai queremos fazer bem aos outros também...

Vovó: Verdade... e Nossa Senhora tem qualidades tão importantes para a nossa felicidade... preciso muito aprender mais e praticar...

Personagem A: Ai, ai, eu também... sabe qual eu mais queria?

Vovó: A paciência? risos

Personagem A: Esse mesmo vovó, como adivinhou?

Vovó: Nada, querido é que eu também queria esse.

Personagem A: Você? Nossa mas acho a senhora tão paciente... tão boazinha, nem fica ansiosa, fala devagarinho... é até parecida com a Mãezinha do Céu...

Vovó: Obrigada, querido... quem  me dera.. estou tentando... mas me deixe te explicar, Maria tem esta característica mais forte, muito mais... vc já ouviu dizer que tudo ela guardava no coração?

Personagem A: Já, mas não entendi muito bem...

Vovó: Eu te explico... Quando se diz que ela guardava tudo no coração quer dizer que, guardava tudo mesmo, tudo que sentia e esperava que Espírito Santo a ajudasse a compreender e só depois tomava decisões ou até mesmo dizia algo, ficava em silêncio mesmo...

Personagem A: Nossa, tudo, tudo? se tava feliz, triste, brava, com medo, ansiosa, curiosa, querendo muito algo... tudo, tudo ela guardava no coração?

Vovó: Sim, tudo, tudo...

Personagem A: Vovó, assim  tudo bem que ela é a mamãe de Jesus e deve ter assim um canal beem mais direto, mas como ela conseguia? e quando o Espírito Santo demora? Como ela fazia?

Vovó: Querido, o ES não demora... esqueceu que ele mora dentro do nosso coração? nós é que não silenciamos para ouvi-lo.

Personagem A: É vovó... temos mesmo muito para aprender com ela... que difícil lição! as vezes eu não escuto mesmo!

Vovó: Eu concordo, uma lição dificil, mais importante! Pense bem, se aprendermos esta lição com Maria não acha que o nosso ano vai ser MUITO melhor?

Personagem A: Ah isso é verdade mesmo, no ano sempre temos coisas boas e ruins né, e a vida da mãezinha do céu também teve...

Vovó: Sim, muito boas e muito ruins...

Personagem A: É por exemplo, uma alegria grande quando Jesus nasceu e uma dor tão, tão grande quando machucaram ele e depois morreu na cruz...

Vovó: Sim,  e tudo ela guardou no coração e teve MUITA força para seguir.. e ajudou muita gente, aliás ajuda até hoje...

Personagem A: Ah eu quero aprender como Nossa Senhora a guardar tudo no coração e como ela nos ensina, também quero ensinar mais pessoas...só assim o nosso ano vai ser de verdade feliz ano novo!

Vovó: Verdade e sabe qual é o melhor jeito de ensinar as pessoas a buscar isso também?

Personagem A: Não, vovó. Me conta!

Vovó: Sendo nós mesmos o exemplo, que cada um veja em nós o exemplo de Nossa Senhora, nas nossas atitudes, com a nossa vida!

Personagem A: Verdade, vovó... vamos começar o nosso ano novo já desde o primeiro dia!

Sugestão de Música
Esta musiquinha é linda... praticamente uma oração, vamos ensinar aos pequenos?



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Este ano será dedicado a Maria, vamos ouvir falar ainda mais dela. Ebaa!

Que tal aproveitar para falar da historia dela para as nossas crianças e deixar um tempo livre para que elas falem as caracteríticas da Nossa Mãezinha querida?

Recorte corações e escreva o que disserem neles. Depois pergunte e o que Maria tem que vc mais precisa/ gostaria de ter?  Se tiver necessidades repetidas escreva em mais corações, de a todos que quiserem. Depois conduza uma oração pedindo a intercessão dela.



Oração

Mãezinha, neste ano especial, dedicado a Senhora pela nossa Amada Igreja que a gente possa todo dia agradecer pelo seu amor imenso por nós... 

Que mais pessoas possam sentir o seu colinho bom!
Amém


sábado, 17 de dezembro de 2016

Evangelho de João 1,1-18

Missa de 25 de Dezembro de 2016


Resultado de imagem para desenho Evangelho de João 1,1-18NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO
                                               
Leituras
Primeira Leitura Is 52,7-10
Salmo 97 / 98
Segunda Leitura Hb 1,1-6 
Evangelho Jo 1,1-18

Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, na liturgia da celebração do Natal do Senhor, Deus nos convida a renovar em nossos corações a esperança do nascimento de um novo tempo, no qual, com Maria e José, somos protagonistas da realização da promessa de estabelecer no mundo um Reino de justiça, amor e paz. “Vamos a Belém...”, dirão os pastores no Evangelho de hoje! Para nós, no entanto, Belém hoje é aqui, e do meio das palhas da manjedoura a criança envolta em faixas nos faz um apelo à solidariedade para superar as atitudes individualistas da sociedade em que vivemos. Viver o Natal é nascer para uma vida mais solidá- ria. Que a cada dia o Senhor Jesus nasça em nossos corações e seu exemplo de humildade, pobreza e amor nos ensine a viver de maneira virtuosa.
(Fonte: folheto Nova Aliança)

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

HOMILIA DIÁRIA
O PORTÃO DE ENTRADA É A PALAVRA

Estamos diante do portão de entrada, a primeira coisa que se vê ao abrir o Evangelho de João. O Prólogo é como uma fonte, da qual quanto mais se tira água, mais água aparece. Por isso que há muitos escritos sobre o Prólogo de João e nunca se esgota o assunto.
No princípio era a Palavra, luz para todo ser humano. "No princípio era a Palavra..." faz pensar na primeira frase da Bíblia que diz: "No princípio Deus criou o céu e a terra". Deus criou por meio da sua Palavra. "Ele falou e as coisas começaram a existir". Todas as criaturas são uma expressão da Palavra de Deus. O prólogo diz que a presença universal da Palavra de Deus é vida e luz para todo ser humano. Esta Palavra viva de Deus, presente em todas as coisas, brilha nas trevas. As trevas tentam apagá-la, mas não conseguem. A busca de Deus renasce constantemente no coração humano. Ninguém consegue abafá-la.
João Batista não era a luz. João Batista veio para ajudar o povo a descobrir e saborear esta presença luminosa consoladora da Palavra de Deus na vida. O testemunho de João Batista foi tão importante que muita gente pensava que Ele fosse o Cristo (Messias) (At 19,3; Jo 1,10). Por isso o Prólogo continua: "João Batista veio apenas para dar testemunho da luz!" (Jo12,7s).
Os seus não a receberam (Jo 1,9-11): Assim como a Palavra de Deus se manifesta na natureza, na criação, da mesma maneira ela se manifesta no "mundo", isto é, na história da humanidade e, de modo particular, na história do povo de Deus. Mas o "mundo" não reconheceu nem recebeu a Palavra. Desde os tempos de Abraão e Moisés, ela "veio para o que era seu, mas os seus não a receberam". Quando fala "mundo" João infica o sistema tanto do império como da religião da época, fechados sobre si e incapazes de reconhecer e receber a Boa Nova (Evangelho) da presença luminosa da Palavra de Deus.
Os que aceitam tornam-se filhos de Deus. As pessoas que se abriam, aceitando a Palavra, tornavam-se filhos de Deus. A pessoa se torna filho ou filha de Deus não por mérito próprio, nem por ser da raça de Israel, mas pelo simples fato de confiar e crer que Deus, na sua bondade, nos aceita e nos acolhe. A Palavra entra na na pessoa fazendo-a sentir-se acolhida por Deus como filho(a). É o poder graça de Deus.
A Palavra se fez carne. Deus não quer ficar longe de nós. Por isso a sua Palavra chegou mais perto ainda e se fez presente no meio de nós na pessoa de Jesus. Literalmente o texto diz: “A Palavra se fez carne e montou sua tenda no meio de nós!”. No tempo do Êxodo, lá no deserto, Deus vivia numa tenda, no meio do povo (Ex 25,8). Agora, a tenda onde Deus mora conosco é Jesus, “cheio de graça e de verdade”. Jesus veio revelar quem é este nosso Deus que está presente em tudo, desde o começo da criação.
Moisés deu a Lei, Jesus trouxe a Graça e a Verdade (Jo 1,15-17): Estes versículos resumem o testemunho de João Batista a respeito de Jesus: “Aquele que vinha antes de mim passou na minha frente porque existia antes de mim!” (Jo 1,15.30). Jesus nasceu depois de João, mas Ele já estava com Deus desde antes da Criação. Da plenitude dele todos nós recebemos, inclusive o próprio João Batista. Moisés, dando a Lei, nos manifestou a vontade de Deus. Jesus trouxe a Graça e a Verdade que nos ajudam a entender e a observar a Lei.
É como a chuva que lava. Este último versículo resume tudo. Ele evoca a profecia de Isaías segundo a qual a Palavra de Deus é como a chuva que vem do céu e para lá não volta sem ter realizado a sua missão aqui na terra (Is 55,10-11). Assim é a caminhada da Palavra de Deus. Ela veio de Deus e desceu entre nós na pessoa de Jesus. Através da obediência de Jesus ela realizou sua missão aqui na terra. Na hora de morrer, Jesus entregou o Espírito e voltou para o Pai. Cumpriu a missão que tinha recebido.
“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos, o que tocamos com as nossas mãos, acerca do Verbo da Vida, é o que nós vos anunciamos. Porque a Vida manifestou-se e nós vimos e damos testemunho dela. Nós vos anunciamos a Vida eterna, que estava junto do Pai e nos foi manifestada. Nós vos anunciamos o que vimos e ouvimos, para que estejais também em união conosco. E a nossa comunhão é com o Pai e com o seu Filho, Jesus Cristo. E vos escrevemos tudo isto, para que a vossa alegria seja completa” (1 Jo 1,1-4).
“No princípio era a Palavra” (Jo 1,1). “A Palavra do nosso Deus permanece eternamente” (Is 40,8). A Palavra de Deus abre a história com a criação do mundo e do homem: “Deus disse” (Gen 1,3.6ss.); proclama que o seu centro está na Encarnação do Filho, Jesus Cristo: “E o Verbo Se fez carne” (Jo 1,14), e fecha-a com a promessa certa do encontro com Ele numa vida sem fim: “Sim, Eu virei em breve” (Ap 22,20).
É a certeza suprema que o próprio Deus, no seu infinito amor, entende dar ao homem de todos os tempos, fazendo do seu povo a sua testemunha. É esse grande mistério da Palavra como supremo dom de Deus que o Sínodo entende adorar, agradecer, meditar, anunciar à Igreja e a todos os povos.
O homem contemporâneo mostra de tantas maneiras que tem uma grande necessidade de ouvir Deus e falar com Ele. Nota-se hoje, entre os cristãos, uma abertura apaixonada para a Palavra de Deus como fonte de vida e graça de encontro do homem com o Senhor.
Não surpreende, portanto, que a essa abertura do homem responda Deus invisível, que, “na abundância do seu amor, fala aos homens como a amigos e conversa com eles, para os convidar e os receber em comunhão com Ele”. Esta generosa revelação de Deus é um contínuo acontecimento de graça.
Senhor Jesus, que eu veja tua glória de Filho de Deus resplandecer em teus gestos misericordiosos em favor da humanidade.
(Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/o-portao-de-entrada-para-o-ceu-e-a-palavra-jo-11-18/)

Ideia de roteiro para teatro

Entra Personagem A com um caderno na mão, óculos, tesoura e cola. Encontra com o Personagem B que está com uma vela bem grande na mão.

Personagem A: Olá crianças!!! Olá Personagem B!! Tudo bem?

Personagem B: Oi oi galerinha!! Oi Personagem A! Tudo bem sim e com vc?

Personagem A: Comigo está tudo bem!! Estou super, mega feliz!!

Personagem B: Está? Mas o que aconteceu!!

Personagem A: Pelo visto você não prestou atenção direito no Evangelho de hoje!!

Personagem B: Claro que eu prestei!! Olha só!! (mostra a vela)

Personagem A: O que tem haver essa vela com o Evangelho?

Personagem B: Tem tudo haver!!! No Evangelho de hoje fala da luz da verdade que ilumina todos os seres humanos!! Eu vim atrás desta luz! Fiquei sabendo que ela vai chegar aqui na Igreja!! Agora pelo visto só eu vou ganhar a luz da verdade!!!

Personagem A: Ai claro que não!! Olha só, a coisa mais importante que está no Evangelho de hoje é a Palavra!!!

Personagem B: A Palavra?

Personagem A: Isso mesmo!! A Palavra!!! Olha só como fala: "No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus; e a Palavra era Deus. No princípio estava ela com Deus. Tudo foi feito por ela, e sem ela nada se fez de tudo que foi feito". É isso que eu vim buscar!! Trouxe a minha tesoura e a minha cola para recortar a palavra e colar no meu caderno!

Personagem B: Mas claro que não!! Como você vai recortar a palavra?

Personagem A: Não sei!! Mas a hora que o padre falar qual é a palavra, já estou preparada com a minha tesoura!!

Personagem B: Acho mesmo que você está fazendo uma confusão!! Porque precisamos dar atenção a luz e não a palavra!!

Personagem A: Lógico que não... a palavra é muito mais importante!!

(Começam a discutir e chega a Catequista)

Catequista: Crianças, pelo amor de Deus!!! Por que vocês estão discutindo?

Personagem A: Catequista, que bom que chegou!!! Diz para o meu amiguinho aqui que o mais importante no Evangelho de hoje é a Palavra!!

Personagem B: Como você é teimoso!! Claro que ela vai falar que o mais importante no Evangelho de hoje é a Luz!!

Catequista: Ah tá, agora estou entendendo o motivo da discussão!! Vou dizer uma coisa importantíssima! Prestem bastante atenção!!

Personagens A e B: Pode falar!!

Catequista: O mais importante no Evangelho de hoje é a Palavra e a Luz!!

Personagens A e B: Verdade?

Catequista: Sim!! Tanto a Palavra quanto a Luz representam a chegada de Jesus!!

Personagens: Chegada de Jesus?

Catequista: Isso mesmo!! Hoje comemoramos o Natal, comemoramos o dia em que Jesus nasceu!! Então quando fala da Palavra está falando de Jesus, que Ele estava com Deus e tudo aconteceu por meio Dele. Fala assim a Palavra se fez carne e habitou entre nós! Significa que Jesus se tornou homem e que Ele veio para iluminar todo o ser humano. Por isso Ele também é a luz da verdade.

Personagem A: Meu Deus, a Palavra é Jesus!!

Personagem B: E a Luz também!! Que lindo!!

Catequista: Muito lindo! E Jesus se fez tão pequeno, nascendo em um estabulo.

Personagem B: O que é um estabulo?

Catequista: Estabulo é um lugar onde ficam os animais. Foi neste simples lugar que o nosso Salvador nasceu!!

Personagem A: Mas por que Maria não foi para o hospital?

(A Partir de agora, a Catequista conta a história. Uma sugestão é para construir o presépio vivo, chamando pessoas para representarem os personagens da história)

Catequista: Maria e José estavam voltando a Belém. Chegando lá, José não encontrou nenhum lugar para Maria ficar! Ele ficou preocupado, pois já estava na hora de Jesus nascer. Quando uma pessoa falou que eles poderiam ficar estabulo.

Personagem B: Nossa!! E ele não teve um quartinho todo decorado, com um lindo bercinho, brinquedinhos e roupinhas?

Catequista: Ele não teve um bercinho lindo, um quartinho decorado! Teve sim uma manjedoura e foi embalado pelos braços amorosos de Maria!! Jesus nasceu em um lugar simples, mas um lugar cheio de amor. E Ele veio para ser iluminar nossa vida, nos mostrar o caminho em que devemos viver para um dia irmos morar no céu!!

Personagem A: Que alegria!! Hoje nasce para nós a luz da verdade!!

Personagem B: Nasce a palavra que mudou nossa história!!

Catequista: Por isso temos que comemorar! Nasce para nós o Salvador!! E nos preparar, pois Jesus está voltando! Não sabemos nem o dia, nem a hora e nem o lugar! Mas Ele está voltando!!! Então vamos comemorar o seu nascimento e deixar o nosso coração preparado para a sua vinda!!
Vamos cantar essa música para festejar o nascimento do nosso Salvador!!!


Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Que lindo dia para Evangelizar!!

A sugestão é contar a História de Natal, mostrando o verdadeiro sentido do natal, através dos presépios!!

Este é um presépio, que pode ser confeccionado pelas crianças!!
http://catecismopiox.blogspot.com.br/2012/11/presepio.html
Resultado de imagem para lembrancinha de presepio com palito de sorveteEste outro presépio, pode também ser confeccionado pelas crianças! E pode ser pendurado nas árvores de natal.


Agora, este é um ótimo dia para trabalharmos o verdadeiro sentido do natal!! E para contarmos a verdadeira história do Papai Noel!
Esta é uma linda história, contada pela nossa amiga Tia Adelita da Comunidade Canção Nova.


















Esta história da Tia Adelita está neste endereço:
https://www.youtube.com/watch?v=WSGgZLmpiWM

Para conhecerem outras histórias da Tia Adelita, basta entrar no site: http://blog.cancaonova.com/cantinho/2012/06/01/novo-blog-da-tia-adelita/

Lá vocês encontraram várias histórias lindas dos santos e santas da nossa amada igreja!!!


Oração
Resultado de imagem para manjedoura como fazer

Querido Jesus,

Que alegria comemorar o dia do Seu Nascimento.
Obrigado por ter vindo nos salvar, nos mostrar e ensinar o caminho para um dia irmos morar com o Senhor no céu.
Que o Espírito Santo transforme o meu coração em uma linda e quentinha manjedoura para o Senhor.
Te amo muito Jesus!!

Amém

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Evangelho de Mateus 1, 18-24

Missa de 18 de Novembro de 2016


Resultado de imagem para desenho presépio tia adelita
Fonte: blog.cancaonova.com/cantinho
4º DOMINGO DO ADVENTO 
“ABRI AS PORTAS PARA QUE ELE POSSA ENTRAR!”
                                               
Leituras
Primeira Leitura Is 7,10-14
Salmo 23 / 24
Segunda Leitura Rm 1,1-7 
Evangelho Mt 1,18-24

Mensagem Principal

Irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos! Para se compreender pela fé o nascimento de Jesus é preciso, muitas vezes, fechar os olhos e os ouvidos aos ruídos do mundo para poder se abrir às verdades de Deus. Talvez entrar num sono profundo, fugindo das armadilhas do racionalismo, para despertar, com o balbuciar da criança na manjedoura, para uma nova vida.
(Fonte: folheto Nova Aliança)

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

HOMILIA DIÁRIA
NASCE O FILHO DE DAVI

O nascimento de Jesus é precedido pela Anunciação, em Mateus e em Lucas. Neste, a Anunciação é feita a Maria. Em Mateus, o anjo aparece em sonho a José, “filho de Davi”, com a intenção teológica de demonstrar a origem davídica de Jesus, através da genealogia inicial. Jesus é o Messias (Cristo) dos judeus-cristãos para quem Mateus escreve. João inicia seu Evangelho, afirmando a eternidade do Verbo em Deus. Sem origem, existia desde o princípio. Essa é a última realidade de Jesus. Mas, enquanto homem, qual foi sua origem? Mateus e Lucas descrevem o início do homem Jesus de modo diferente, porém, essencialmente idêntico. Lucas apela ao testemunho da mãe, Maria. Mateus, pelo contrário, descreve a situação do ponto de vista do marido, José. Ambos os relatos convergem para afirmar que o concebido no ventre de Maria não tinha pai humano. Que a concepção foi um ato do poder do Espírito Divino. Esse Espírito, que pairava presente sobre as águas no início (Gn 1,2), agora paira sobre Maria para uma realidade que se parece com uma criação.                                                     Jesus não é um homem qualquer; na sua humanidade existe uma intervenção direta do poder de Deus. Ele tem uma mãe terrena, mas o Pai d’Ele (“meu Pai” dirá Ele) e vosso Pai, é o próprio Deus. Porém, essa sua permanência desde a concepção até seu nascimento no seio de Maria o torna semelhante a nós em tudo. Se o primeiro homem foi feito espírito vivente pelo Sopro Divino, o segundo Adão, Cristo, foi feito homem pelo Espírito Divino que transforma um óvulo humano em ser divino totalmente dependente da divindade. Será chamado Filho de Deus (Lc 1, 35) ou Deus conosco.   É admirável a simplicidade da narração. Mas também é apreciável o modo como é efetuada: José conhece o caso pelas palavras do mensageiro de Deus, como num sonho. Este sonho implica uma duplicata da realidade que temos que conhecer, em profundidade, unicamente com os olhos e ouvidos interiores. Por meio de uma fé que depende de um relato humano, mas que unicamente aceitamos porque avaliado pela palavra divina.                                                                                                       A dúvida de José era se podia aceitar uma mulher que, em termos legais, era uma idólatra e, portanto, maculava o matrimônio de modo a atingir de forma pecaminosa o esposo, cuja infâmia, portanto, deve ser extirpada. Aceitá-la era impossível. O meio de recusá-la era a dúvida principal de José. Como temos exposto, escolheu um método que a deixava fora de suspeitas adúlteras, mas que impediria a união matrimonial, porque nesse caso, como marido de uma mulher infiel, comparável a uma idólatra, estaria ele colaborando com o mal. O escrito de repúdio antigo, foi a forma escolhida por José. Não era preciso relatar causas, mas deixar claro que não deviam existir vínculos ulteriores. Tudo estava terminado.                                                                                                                           A visão em sonhos declara os fatos e inocenta Maria. Mais: a eleva à categoria de especial escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador esperado. Existe um outro aspecto a ser tomado em conta: pede a José que atue como pai. Ninguém saberá o acontecido e todos pensarão numa concepção, gravidez e nascimento comuns.                                                                                                                             José aceitou o encargo e se tornará pai –todos assim o pensavam- de um menino a quem impõe o nome, Salvador dos pecados de seu povo, não dos inimigos externos ou do poder estrangeiro, mas dessa ruptura essencial do homem com Deus que Cristo inicia a dissolver e da qual sempre será causa de anulação por meio da reconciliação. Era o antigo decreto de morte que acompanhava o afastamento do homem. Agora, por parte de Deus, todos somos filhos em seu Filho. Por parte humana, individual, essa nova realidade é assumida particularmente por meio da fé e a conversão em que não é o homem quem dita a ética vital, mas o Homem Jesus quem a proclama no seu Evangelho.   Pai, ajuda-me a contemplar tua ação maravilhosa em relação à concepção de teu Filho Jesus. Que eu reconheça nela tua oferta gratuita de salvação para toda a humanidade.                                                    (Fonte: http://homilia.cancaonova.com/homilia/nasce-o-filho-de-davi-mt-118-24/)

Ideia de roteiro para teatro


Personagem A entra de pijama, carregando um coberto e travesseiro e encontra com Personagem B.

Personagem B: Nossa Personagem A você está bem? O que aconteceu com você?

Personagem A: Ué, é claro que estou bem, por quê?

Personagem B: Como por quê? Olha só pra você! Saiu de casa sem tirar o pijama, ainda veio pra igreja desse jeito, só pode esta ficando louquinho.

Personagem A: Que nada Personagem B, como sempre você não entendeu nadinha do que a catequista explicou na catequese, né mesmo?

(Nesse momento, Catequista entra e percebe que estão falando sobre o que aprenderam na catequese então fica de lado bem quietinha ouvindo a conversa deles, pois quer saber o que eles entenderam na catequese).

Personagem B: Na catequese? Não lembro da catequista nos falar pra vir de pijama para igreja.

Personagem A: Olha, presta atenção pra ver se agora você entende ta! Na catequese nós aprendemos que devemos fechar os olhos e os ouvidos para os barulhos do mundo e assim conseguirmos ouvir a voz de Deus. Igualzinho como aconteceu com José no evangelho, o anjo apareceu para ele enquanto dormia e aí eles conseguiram conversar porque estava tudo bem calminho.

Personagem B: Claro que o anjo teve que aparecer!! Ele queria desistir da Maria! Deus não podia deixar!!

Personagem A: Ai Personagem B!! Claro que não!! José estava preocupado com Maria, por isso decidiu ir embora sem que ninguém percebesse! Mas nos planos de Deus, José seria o homem escolhido para ser pai de Jesus!!

Personagem B: Verdade!! Mas ainda não estou entendendo nada!! A catequista nos ensinou que é preciso vir dormir na igreja?

Personagem A: Não, ela não ensinou não... mas eu até tentei escutar Deus na minha casa, mas lá é muito barulhento! O único momento que fica tudo bem quietinho já é bem de noitão, bem tarde mesmo e aí eu já estou muito cansado e desse jeito não consigo ver o anjo quando ele chega.

Personagem A: Nossa verdade, na minha casa também é assim!!!

Personagem B: Então lá em casa tem o celular, o vídeo game, o computador a TV, todos falando o tempo inteiro, aí fica difícil né conseguir ficar quietinho pra ouvir a voz de Deus. Como podemos escutar a Deus?

Personagem A: Nossa que difícil responder essa pergunta!!

Personagem B: Mas ai resolvi vir pra igreja, aqui vou conseguir fechar os olhos e ficar quietinho, além disso, Jesus está la no sacrário aí vou conseguir ficar mais pertinho de Deus.

Personagem B: Sabe que agora acho que você tem razão! Vou deitar aqui com você, também quero ouvir a voz de Deus. Ooooooba!

(Então, os dois deitam).

Catequista ouvindo toda a conversa, chega falando: Oi Oi crianças, vamos levantar todo mundo!

Personagem A e B se assustam e falam: Que susto!! Mas que bom que a senhora estava aí?

Personagem A: Viu que idéia ótima nós tivemos para ouvir a voz de Deus?

Personagem B: O Personagem A me convenceu!!!

Catequista: Pois é, estava sim! E ouvi tudo o sim. Mas olha crianças vou explicar melhor pra vocês, achei muito legal vocês terem interesse de ouvir a voz de Deus, é isso mesmo! Todos nós precisamos procurar ouvir a Deus, porque Deus é amor e ele quer o nosso bem sempre. Então ele tem muitos ensinamentos para todos nós e quer que estejamos atentos ao seu chamado.

Personagem A: Ficou orgulhosa dos seus catequizandos não?

Catequista: Fiquei sim! Mas não precisamos vir dormir aqui na igreja para poder ouvir a Deus, o que o evangelho quer dizer é que precisamos acalmar nosso coração, nossos pensamentos para conseguirmos ouvir a Deus.

Personagem B: Mas como podemos fazer isso?

Catequista: Vou explicar. Vocês prestaram atenção no Evangelho de hoje que conta sobre José, pai de Jesus?

Personagem A e B: Prestamos atenção sim!!

Catequista: Então, quando José soube que Maria teria um Bebe ele ficou muito confuso, pois os dois ainda não eram casados. Ele ficou preocupado porque mulheres que ficavam grávidas antes do casamento eram apedrejadas em praça diante de todos.

Personagem A: Minha nossa!!

Catequista: José não queria que acontecesse isso com Maria. Como ele era um homem de coração muito bom e ficou em silêncio.

Personagem B: José era um homem muito bom mesmo!!! E ele devia amar muito Maria!

Catequista: Amava muito!! Ficou muito triste, pois achou que Maria tivesse o traído. Então Deus enviou o anjo para explicar tudo para José, que Maria ficaria grávida pela ação do espírito santo e que ele podia confiar e se casar com ela, pois ela daria a luz a um menino que iria salvar o mundo e que José daria o nome de Jesus a esse lindo menino.

Personagem A: Foi assim que José aceitou a vontade e o chamado de Deus, não é mesmo?

Catequista: Isso mesmo! José aceitou Maria e Jesus na sua vida e amou e cuidou deles para que se cumprisse a vontade de Deus.

Personagem B: Então, José precisou dormir para o anjo aparecer e ele poder escutar a voz de Deus. Então para eu também escutar a voz de Deus preciso dormir? Aí o anjo virá falar comigo?

Personagem A: Ele está falando isso Catequista, porque na casa dele e até na minha tem muito barulho!!

Catequista: Vocês estão falando da questão do vídeo game, o celular e a TV, não é?

Personagens A e B: Isso mesmo!!

Catequista: Vocês têm razão! Nós podemos utilizar tudo isso com moderação, sem deixar de cumprir nossas tarefas! Assim conseguiremos tempo para acalmar nosso coração e ouvir a Deus. Tem uma receita maravilhosa para escutarmos Deus!

Personagens A e B: Qual?

Catequista: É a oração. Todas as vezes paramos tudo para rezar, Deus encontra o momento ideal para falar conosco! E Ele quer falar! Quer dizer que nos ama muito e que tem planos maravilhosos para a nossa vida!!

Personagem A: Nossa que legal!! Eu quero escutar a Deus sempre!!

Personagem B: Eu também!!

Catequista: Muito importante escutar a Deus sim!! Mas mais ainda é obedecer e fazer a vontade Dele. Como José que escutou e aceitou ser o pai de Jesus!
O que acham de pedimos agora ajuda do nosso amigão, o Espirito Santo?

Personagens: Vem Espírito Santo!

Catequista: Repitam comigo: Espírito Santo, acalma meu coração, me ajude a fechar os meus olhos e abrir os meus ouvidos para escutar a voz do Senhor. Quero também te pedir força e coragem para ser obediente e fazer a vontade de Deus. Amém

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Este é um rico Evangelho! Uma ótima oportunidade de motivarmos às crianças a deixarem seus ouvidos bem abertos a voz do Senhor!
Como vivemos em um mundo de muita agitação, onde tem tantas e tantas coisas que nos afastam da voz do Senhor, precisamos ensinar às crianças como escutar a voz do Senhor!

Para isso, tem uma dinâmica muito legal! Se for um grupo pequeno, pode passar todas as crianças pela vivência!

Dinâmica: Quem estamos escutando?

Organização: Dividir as crianças

GRUPO DA VOZ DE DEUS

GRUPO DA VOZ DO MUNDO













UMA CRIANÇA
SERÁ JOSÉ
O JOSÉ SERÁ
VENDADO
Material:
Imagem de Jesus
Um coração grande de EVA vermelho

Objetivo da Dinâmica:
A Criança que será José deve levar o coração vermelho até Jesus.

Como viver a dinâmica:
O grupo que será voz de Deus para José deverá dizer como José deve chegar à Jesus. Por exemplo: vai para esquerda, siga em frente...
Já o grupo que será a voz do mundo deve atrapalhar José. Por exemplo dando indicações erradas. Se é para ir direita o grupo pode falar esquerda....

A Dinâmica termina quando José conseguir levar seu coração até a imagem de Jesus!

Reflexão:
Foi fácil levar o coração à Jesus?
O que atrapalhou?
O que as vozes do mundo representam para nós? Televisão, videogame, celular, preguiça, desobediência.
As crianças poderão perceber o quanto é difícil ouvir a voz de Deus em meio a tanto barulho que o mundo faz e que mesmo com tanto barulho e confusão, Deus continua nós chamando para seu lado, continua chamando a todos nós para ouvir, servir e amá-lo de todo o coração.

Assim como José, precisamos estar com os olhos fechados as coisas que nos atrapalham e com os ouvidos bem abertos para escutar a voz do Senhor. Dessa forma podemos chegar a Deus em meio a tanta bagunça, porém é muito mais difícil, pois o pecado sempre tentará nós atrapalhar, fazendo bastante barulho para nos atrapalhar a ouvir a Deus.
Mas para isso precisamos nos acalmar e prestar a atenção naquilo que Deus quer nós falar e o que espera de todos nós.

Oração

Senhor Deus, pedimos ao senhor que nos ajude a acalmar nosso coração, que possamos fechar nossos olhos e ouvidos para as vozes do mundo e conseguirmos prestar a atenção nas suas orientações e que estejamos sempre atentos a tua voz.


Amém