Quem somos?

Minha foto
Somos um Ministério de Evangelização de Crianças da Diocese de São José dos Campos desde 1999. Utilizamos como recurso de evangelização o teatro. Também organizamos formações para evangelizadores e catequistas. Estamos sempre a disposição! Precisando é só mandar um mail para cantinhodanjos@gmail.com Vamos levar nossas crianças para Jesus!!

sábado, 13 de janeiro de 2018

Evangelho de Marcos 1,21-28

Missa de   28 de janeiro de 2018

Resultado de imagem para Mc 1,21-28

Jesus quer libertar nosso coração

Leituras
Primeira Leitura  (Dt 18,15-20)
Salmo (Sl 94(95))
Segunda Leitura  (1Cor 7,32-35)
Evangelho (Mc 1,21-28)

Mensagem Principal


Queridos irmãos e irmãs em Cristo, a Palavra de Jesus tem poder de libertar o homem do espírito mau, que aliena, escraviza e mata. Ela cura os corações feridos pelas maldades do mundo. Seu ensinamento tem autoridade; por isso renova e transforma.

Fonte:Nova Aliança


Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

A liturgia do 4º Domingo do Tempo Comum garante-nos que Deus não se conforma com os projetos de egoísmo e de morte que desfeiam o mundo e que escravizam os homens e afirma que Ele encontra formas de vir ao encontro dos seus filhos para lhes propor um projeto de liberdade e de vida plena.
A primeira leitura propõe-nos – a partir da figura de Moisés – uma reflexão sobre a experiência profética. O profeta é alguém que Deus escolhe, que Deus chama e que Deus envia para ser a sua “palavra” viva no meio dos homens. Através dos profetas, Deus vem ao encontro dos homens e apresenta-lhes, de forma bem perceptível, as suas propostas.
O Evangelho mostra como Jesus, o Filho de Deus, cumprindo o projeto libertador do Pai, pela sua Palavra e pela sua ação, renova e transforma em homens livres todos aqueles que vivem prisioneiros do egoísmo, do pecado e da morte.
A segunda leitura convida os crentes a repensarem as suas prioridades e a não deixarem que as realidades transitórias sejam impeditivas de um verdadeiro compromisso com o serviço de Deus e dos irmãos.

Fonte:Dehonianos


Ideia de roteiro para teatro


PA entra falando baixinho: Oi gente! Tudo bem com vocês? Oi PB!


PB: Oi PA!

PA: xiiiiiuuuuuuuuuuuuuuuuuu

PB: Porque você está falando baixo assim? Está se escondendo de alguém?

PA: De Jesus!

PB: De Jesus? Porque?

PA: Porque Ele está meio bravo! Você não ouviu no evangelho que disse que ele mandou um homem calar a boca e sair?

PB: Claro que não PA! Jesus no evangelho ordenou que o Espírito Mau saísse de um homem deixando este homem livre!

PA: Mas Jesus estava bravo sim PB. Ninguém manda calar e sair se não estiver bravo e acho que Ele vai ficar bravo comigo.

Catequista: Oi Crianças! Sobre o que estão falando?

PB: Oi Catequista o PA está achando que Jesus está bravo porque o ouviu mandando o Espirito Mau se calar e sair no Evangelho de hoje!

PA: Claro! Toda vez que minha mãe me manda sair de perto é porque fiz algo muito errado e ela precisa respirar e se acalmar pra depois vir conversar comigo!

Catequista: Não crianças, não é que Jesus está bravo, muito pelo contrário! Jesus quer que todas as pessoas sejam livres, por isso expulsou o Espirito Ruim que mantinha aquele homem prisioneiro!

PA: Prisioneiro? Mas ele estava no templo e não na prisão!

Catequista: Sim! Mas muitas vezes o que está preso é o nosso coração com sentimentos ruins. Muitas vezes cometemos pecado e ficamos com vergonha de chegar perto de Deus e o afastamento de Deus nos deixa tristes, envergonhados e longe do amor de Deus. E isso é um tipo de prisão.

PB: Eu tenho um amigo que não gosta de dividir nada que ele tem. Ele não deixa ninguém brincar com os brinquedos dele, então fica sempre sozinho!

Catequista: Esse é outro tipo de prisão! O egoísmo nos deixa afastados dos nossos amigos e irmãos.

PA: Ah, mas então estou livre, sou muito bonzinho, divido meus brinquedos, quando faço pecadinhos peço perdão e volto bem rápido pra perto de Deus.

Catequista: Mas tem outras coisas que nos deixam prisioneiros!

PB: Catequista minha mãe me disse outro dia que sou escravo do meu celular! Falou isso porque fico o dia todinho conectado e acabo não fazendo mais nada!

PA: Eu não fico o dia todo no celular, às vezes uso o tablete ou jogo vídeo game também! Então mais uma vez estou livre!

Catequista: Não é bem assim não PA! Algumas de nossas escolhas nos mantem aprisionados sem a gente perceber. Quando você passa o dia todo nesses eletrônicos quais escolhas você deixa de fazer? Quantas brincadeiras você perde?

PA: Ah é verdade! Tem dias que nem saio na rua pra brincar com meus amigos.

PB: Faz todo sentido! Estamos mesmo presos!

Catequista: O que Jesus quer é que sejamos verdadeiramente livres! Quer que nosso coração seja livre. E que possamos escolher o que é melhor para nós! Jesus quer libertar nosso coração. Quer nos ensinar a fazer boas escolhas, para que possamos viver felizes!

PA: Entendi Catequista! Vou prestar atenção em tudo o que me mantém prisioneiro. Prestar mais atenção nas minhas escolhas para não viver prisioneiro do egoísmo, da falta de perdão.

PB: Precisamos pedir ao Espirito Santo discernimento para entender tudo o que nos faz prisioneiros.

Catequista: Isso mesmo crianças! O Espirito Santo nos mostra o que nos aprisiona e nos ajuda a ser libertos por Jesus! Assim como no evangelho, podemos ser livres e seguir os ensinamentos de Jesus e viver a vida que Ele nos propõe.


Sugestão de Música 


 

Ideia para trabalhar esse Evangelho




Fazer com as crianças um jogo da memória com situações que nos aprisionam e suas consequências!


Exemplo: Imagem de uma criança que não divide o brinquedo e imagem desta criança sozinha.


Imagem de uma criança com aparelhos eletrônicos e imagem da criança observando as outras brincarem e assim por diante. Procure enfatizar de que muitas de nossas escolhas nos aprisionam!


Oração

Espirito Santo me ajuda a seguir os propósitos e ensinamentos de Jesus na minha vida!
Me ensina a usar a liberdade de filho de Deus vivendo segundo Seu coração. Que eu tenha sempre sabedoria para acolher tudo aquilo que o Senhor me dá. Amém!


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Evangelho de Marcos 1,14-20

Missa de 21 de janeiro de 2018


3o Domingo do Tempo Comum

Leituras
Primeira Leitura Jn 3,1-5.10
Salmo 24/25
Segunda Leitura 1Cor 7,29-31
Evangelho Mc 1,14-20


Mensagem Principal
A liturgia de hoje é um grande convite a entrarmos no tempo de Deus e a celebrarmos sua presença entre nós. O convite de Jesus para conversão e seguimento nos impulsiona a experimentarmos o Reino, que já está acontecendo em nós. Fonte: Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

DEIXANDO SUAS REDES, O SEGUIRAM... No caminho de Jesus, cada palavra, cada olhar, representam um encontro transformador de vidas. Os Evangelhos nos relatam os encontros de Jesus. Para aqueles que têm o coração aberto, encontrá-Lo significa uma nova vida. Certa vez, ouvindo o Senhor falar, alguém disse: “Ninguém jamais falou como esse homem.” Seu olhar penetrava o íntimo das almas e sua palavra aquecia os corações. São esses gestos e palavras que os Evangelhos nos narram. A cada domingo somos convidados a ter um encontro pessoal com Jesus. O Evangelho que hoje lemos é uma espécie de resumo da missão de Jesus, inserindo-nos nas circunstâncias de tempo e espaço: “Depois que João Batista foi preso, e na região da Galiléia”. Até então era o povo que ia ao deserto para ouvir e receber o batismo de João. A partir de agora, é Jesus que vem ao encontro do povo, lá onde ele vive. Como um novo Jonas que ouvimos na 1ª leitura enviado por Deus para caminhar no meio de estrangeiros para anunciar e convocar a conversão. Jesus vem anunciar a necessidade de conversão ao Reino de Deus, que não é um novo regime ou forma de governo, mas o Encontro de Deus com a humanidade. O anunciador da mensagem divina é também caminheiro, o que indica que Ele veio para todos os povos e não somente para o povo judeu. A vocação dos primeiros discípulos está ligada à preparação dos discípulos para atuarem na obra evangelizadora que estava sendo iniciada por ele. Jesus convida os discípulos para que o ajudassem a pregar a Boa Nova da Salvação. Ao fazerem esta experiência, os discípulos deixam suas antigas certezas e mudam totalmente de vida: à voz do Mestre deixaram tudo e O seguiram. Hoje, os discípulos de Jesus somos nós. Como os apóstolos, somos convidados a fixar nosso olhar no semblante do Senhor. Seus olhos contemplam, ao mesmo tempo, o infinito amor de Deus e a angústia de todos os homens que vivem sem fé naquele amor. Uma mensagem que fica clara é que ninguém nasce evangelizador, mas através do discipulado, do seguimento de Jesus nos tornamos evangelizadores. Aqui entendemos o início do canto do salmista: “mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada”. Mais do que olhar para Jesus, queremos ser olhados por Ele e responder à missão que nos confiou. Que a certeza de que o Senhor olha por nós e nos chama, nos ajude a ver os irmãos com o seu olhar de amor.Fonte: Folheto Nova Aliança

Ideia de roteiro para teatro

Personagem A: Amigo, amigo tive uma grande ideia! Vou chamar toda a turma para ser pescador de homens, como Jesus pediu no evangelho!

Personagem B: Ah é... que ótimo... eu tô mesmo com muito calor...e este negocio de pescar deve ser na praia né... ou no rio, ou a gente vai só brincar e ai vai ser na piscina mesmo?

Personagem A: Ai, ai... nada disso... Pescar pessoas para Jesus é em todo lugar...

Personagem B: Vixe... que trabalhão! já sei então, vamos fazer tipo um campeonato de pesca... eu já fui em um com o meu padrinho!

Personagem A: Não, nada de campeonato! mas é verdade, muito trabalho! por isso a primeira missão do pescador de Cristo é seguir Jesus! Deixar tudo que atrapalha a gente e aceitar de verdade a missão...

Personagem B: Sei...

Personagem A: E ai, você topa, amigo?

Personagem B: Ah, eu quero sim...mas este negócio de deixar tudo e seguir Jesus, eu já ouvi antes e sinceramente, amigo... eu não acho isso certo!

Personagem A: Como assim?

Personagem B: Sou uma criança, indefesa, Jesus tá lá no céu... então saio por ai, pelo mundo, dizendo que sou um pescador de pessoas para Jesus e que ele é muito meu amigo e tals... e deixo pra lá minha, família, minha escola, os amigos e até meu cachorro... ou ele pode ir? acho que não...

Personagem A: Não, não... Nada disso, algumas pessoas fazem isso, se dedicam totalmente a falar de Jesus para as pessoas e traze-las para pertinho dele, são os padres, as freiras, os missionários consagrados... nós não somos assim dedicados...e realmente, somos crianças....crianças não saem sozinhas...

Personagem B: Verdade, amigo... não somos dedicados... e somos crianças...então, podemos brincar, agora?

Personagem A: Não, peraí deixa eu te explicar... Jesus precisa de nós!

Personagem B: Ué, mas e este povo todo ai que você falou que deixou tudo para seguir Jesus?

Personagem A: É pouco, amigo... muito pouco... precisam de ajuda!

Personagem B: Mas como eu posso ajudar? não quero deixar de brincar!

Personagem A: Amigo, nós podemos ajudar Jesus mostrando para as pessoas o quanto é bom ser amigo dele... seguir os passos dele... e que aceitamos a missão de trazer mais amigos para Jesus!

Personagem B: Legal! eu topo!

Personagem A: Mas tem que ser todo dia!

Personagem B: Mas todo dia? todo dia não dá tempo... temos muita coisa para brincar... ops... para fazer... eu quis dizer fazer...

Personagem A: Amigo até brincando mostramos que seguimos Jesus...

Personagem B: Ixi... como assim?

Personagem A: Se na brincadeira a gente imita as atitudes de Jesus vão ver que seguimos Jesus e que nós somos amigos dele...Ai vão querer conhece-lo ai, pescamos eles! Entendeu?

Personagem B: Opaa... que ideia ótima!

Personagem A: Acho que podemos pensar assim o que Jesus tem de mais legal e que as pessoas mais precisam eu vou imitar e trazer para elas... igual isca de pescaria!

Personagem B: Nossa, amigo... muito bom! acho que precisam de muito perdão e de emprestar as coisas... como chama isso mesmo?

Personagem A: Partilha! isso acho que também precisa amor, abraço e sorriso!

Personagem B: Oba! vai dar trabalho sim, fazer isso todo dia! Mas vamos conseguir...Jesus precisa! Vamos seguir na missão que ele nos pediu! Precisar mudar e seguir o caminho dele de coração!

Personagem A: Isso, aí de todo nosso coração! Somos amigos muito fiéis dele! Bora, começar a nossa pescaria!!!

Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho

Quem quer ser pescador de Cristo?

Neste link do blog lindo da  Tia Ale tem uma maleta perfeita, uma maleta de pescaria. Oba!

Nossa proposta é que durante a brincadeira seja abordado o tema: o que é ser pescador de Cristo?

Quem são os peixes? tem peixe dificil de pescar? pesado? fujão? bravo?
Quem são os pescadores? do que eles precisam para a tarefa da pesca?



Imagens: blog da Tia Ale 

Oração

Jesus querido, eu quero ser um grande pescador de homens! Quero ajudar a trazer mais e mais pessoas para perto do seu coração, para te amar! Eu quero de seguir, Senhor! Amém.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Evangelho de João 1,35-42

Missa de 14 de Janeiro de 2018

Resultado de imagem para desenho João Batista mostra Jesus2º DOMINGO DO TEMPO COMUM 
O CONVITE DE JESUS PERMANECE: VINDE E VEDE

Leituras
Primeira Leitura 1Sm 3,3b-10.19
Salmo 39 / 40
Segunda Leitura 1Cor 6,13c-15a. 17- 20
Evangelho Jo 1,35-42
Folheto Povo de Deus

Mensagem Principal

É com alegria que nos reunimos em comunidade para celebrarmos a Páscoa do Senhor. Neste domingo, junto com João Batista, testemunhamos que Jesus é verdadeiramente o filho de Deus. Que elimina o pecado do mundo com sua morte na cruz e batiza no Espírito Santo por sua ressurreição. Alegres e em comunhão com todas as pessoas que ouvem o chamado do Senhor.
Folheto Nova Aliança

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!

MENSAGEM

Num primeiro momento, o quadro situa-nos junto do rio Jordão (vers. 35-37). Os três primeiros personagens em cena são João e dois dos seus discípulos – isto é, dois homens que tinham escutado o anúncio de João e recebido o seu batismo, símbolo da ruptura com a “vida velha” e de adesão ao Messias esperado. Estes dois discípulos de João são, portanto, homens que, devido ao testemunho de João, já aderiram a esse Messias que está para chegar e que esperam ansiosamente a sua entrada em cena.
Entretanto, apareceu Jesus. João viu Jesus “que passava” e indicou-O aos seus dois discípulos, dizendo: “eis o cordeiro de Deus” (vers. 36). João é uma figura estática, cuja missão é meramente circunstancial e consiste apenas em preparar os homens para acolher o Messias libertador; quando esse Messias “passa”, a missão de João termina e começa uma nova realidade. João está plenamente consciente disso… Não procura prolongar o seu protagonismo ou conservar no seu círculo restrito esses discípulos que durante algum tempo o escutaram e que beberam a sua mensagem. Ele sabe que a sua missão não é congregar à sua volta um grupo de adeptos, mas preparar o coração dos homens para acolher Jesus e a sua proposta libertadora. Por isso, na ocasião certa, indica Jesus aos seus discípulos e convida-os a segui-l’O.
A expressão “eis o cordeiro de Deus”, usada por João para apresentar Jesus, fará, provavelmente, referência ao “cordeiro pascal”, símbolo da libertação oferecida por Deus ao seu Povo, prisioneiro no Egito (cf. Ex 12,3-14. 21-28). Esta expressão define Jesus como o enviado de Deus, que vem inaugurar a nova Páscoa e realizar a libertação definitiva dos homens. A missão de Jesus consiste, portanto, em eliminar as cadeias do egoísmo e do pecado que prendem os homens à escravidão e que os impedem de chegar à vida plena.
Depois da declaração de João, os discípulos reconhecem em Jesus esse Messias com uma proposta de vida verdadeira e seguem-n’O. “Seguir Jesus” é uma expressão técnica que o autor do Quarto Evangelho aplica, com frequência, aos discípulos (cf. Jo 1,43; 8,12; 10,4; 12,26; 13,36; 21,19). Significa caminhar atrás de Jesus, percorrer o mesmo caminho de amor e de entrega que Ele percorreu, adotar os mesmos objetivos de Jesus e colaborar com Ele na missão. A reação dos discípulos é imediata. Não há aqui lugar para dúvidas, para desculpas, para considerações que protelem a decisão, para pedidos de explicação, para procura de garantias… Eles, simplesmente, “seguem” Jesus.
Num segundo momento, o quadro apresenta-nos um diálogo entre Jesus e os dois discípulos (vers. 38-39). A pergunta inicial de Jesus (“que procurais?”) sugere que é importante, para os discípulos, terem consciência do objetivo que perseguem, do que esperam de Jesus, daquilo que Jesus lhes pode oferecer. O autor do Quarto Evangelho insinua aqui, talvez, que há quem segue Jesus por motivos errados, procurando n’Ele a realização de objetivos pessoais que estão muito longe da oferta que Jesus veio fazer.
Os discípulos respondem com uma pergunta (“rabbi, onde moras?”). Nela, está implícita a sua vontade de aderir totalmente a Jesus, de aprender com Ele, de habitar com Ele, de estabelecer comunhão de vida com Ele. Ao chamar-Lhe “rabbi”, indicam que estão dispostos a seguir as suas instruções, a aprender com Ele um modo de vida; a referência à “morada” de Jesus indica que eles estão dispostos a ficar perto de Jesus, a partilhar a sua vida, a viver sob a sua influência. É uma afirmação respeitosa de adesão incondicional a Jesus e ao seu seguimento.
Jesus convida-os: “vinde ver”. O convite de Jesus significa que Ele aceita a pretensão dos discípulos e os convida a segui-l’O, a aprender com Ele, a partilhar a sua vida. Os discípulos devem “ir” e “ver”, pois a identificação com Jesus não é algo a que se chega por simples informação, mas algo que se alcança apenas por experiência pessoal de comunhão e de encontro com Ele.
Os discípulos aceitam o convite e fazem a experiência da partilha da vida com Jesus. Essa experiência direta convence-os a ficar com Jesus (“ficaram com Ele nesse dia”). Nasce, assim, a comunidade do Messias, a comunidade da nova aliança. É a comunidade daqueles que encontram Jesus que passa, procuram n’Ele a verdadeira vida e a verdadeira liberdade, identificam-se com Ele, aceitam segui-l’O no seu caminho de amor e de entrega, estão dispostos a uma vida de total comunhão com Ele.
Num terceiro momento (vers. 40-41), os discípulos tornam-se testemunhas. É o último passo deste “caminho vocacional”: quem encontra Jesus e experimenta a comunhão com Ele, não pode deixar de se tornar testemunha da sua mensagem e da sua proposta libertadora. Trata-se de uma experiência tão marcante que transborda os limites estreitos do próprio eu e se torna anúncio libertador para os irmãos. O encontro com Jesus, se é verdadeiro, conduz sempre a uma dinâmica missionária.

Ideia de roteiro para teatro

(Personagem A entra com um mapa, com bússola, com óculos, uma mochila cheia de coisas e encontra com o Personagem B que está segurando leite e capim)

PA: Olá todo mundo!!! Oi PB, que bom que você chegou!! Vou precisar de sua ajuda!!!

PB: Oi Galerinha!!! Ah PA, que pena!! Não posso te ajudar!! Estou muito ocupado procurando... (começa a assobiar)

PA: Você também está procurando?? O que você está procurando??

PB: Vou dar uma dica... (mostra o leite e o capim)

PA: Leite e capim?? Você está procurando um gato?

PB: Claro que não!! Gato come capim?

PA: Não. Mas toma leite!!

PB: Olha, eu fui a missa e dessa vez entendi tudo! Entendi que devemos achar o cordeiro para seguir Jesus! E eu quero muito seguir Jesus! Então estou atrás do cordeiro. Trouxe o leite e o capim para ele! Padre será que o Sr viu o cordeiro por ai???????

PA: Mas que ideia PB!!! Da onde você tirou isso??

PB: Do Evangelho. João falou para os discípulos "Eis o cordeiro" e os discípulos começaram a seguir Jesus!!! Mas me diz uma coisa, você também está procurando alguma coisa? Por que pediu a minha ajuda??

PA: Estou sim!!! Estou procurando a casa de Jesus!!! Os discípulos perguntaram da casa para Jesus.  Ele os levou até lá e lá eles permaneceram!! Com certeza a mãe de Jesus, Maria, deve fazer lanchinhos bem gostosos para os discípulos ficarem por lá!! Então também quero ir até a casa de Jesus.

PB: Mas que ideia é essa PA!!!

PA: Está no Evangelho!!

PB: Verdade?? Escutei do cordeiro e já saí correndo para pegar o leite e o capim.

PA: Tive uma ideia!! Podemos procurar os dois... o cordeiro e a casa! Juntos temos mais chance, o que você acha??

PB: Perfeito!!!

(A Catequista entra no meio do povo e as crianças a chamam)

PA: Olha só a Catequista, podemos perguntar para ela!

PB: Verdade! Ela deve saber!! Catequista!!

C: Oi Crianças! Tudo bem com vocês?

PB: Tudo bem!! Catequista estamos precisando da sua ajuda!! Onde podemos encontrar o cordeiro?

PA: E a casa de Jesus, onde fica???

C: Nossa, mas por que vocês querem saber tudo isso?

PB: Estamos fazendo o que o Evangelho de hoje ensina!!!

C: Agora estou entendendo!!! Bom, vamos lá, vou explicar para que vocês entendam!! Quando João fala sobre o Cordeiro de Deus ele não fala que temos que procurar um cordeiro e sim que Jesus é o Cordeiro de Deus.

PB: Jesus é o Cordeiro de Deus?

C: Isso mesmo! Jesus é chamado de cordeiro pois se entrega na cruz para nos salvar. Por isso, quando os discípulos percebem que Ele é o Cordeiro de Deus começam a segui-lo.

PB: Então não precisamos achar o cordeiro? Posso tomar o leite??

C: Não precisam!! E pode tomar o leite!!

PA: Vai querer comer o capim também?!

PB: Claro que não!!!

PA: Eu estava certa então!!! Precisamos achar a casa de Jesus, não é mesmo?

C: Não é bem assim não!! Quando Jesus pergunta para eles "O que estais procurando?", Ele perguntou para saber o que os discípulos queriam. E quando os discípulos responderam "Onde Moras?" Jesus percebeu que Eles queriam ficar e seguir Jesus, que aceitaram fazer a experiência de partilhar a vida com Jesus e assim seguir Jesus no seu caminho de amor e de entrega.

PA: Agora entendi! E eu pensei que eles queriam ir até a casa de Jesus pela comida de Nossa Senhora!!!

C: Importante entendemos qual é a nossa missão! Quem encontra Jesus e experimenta partilhar tudo com Ele, não pode deixar de se tornar testemunha da sua mensagem e missionário como João Batista, mostrando a todas as pessoas quem é Jesus e como é maravilhoso viver com Ele. Que possamos pedir ao Espirito Santo que nos dê força, coragem e alegria de sermos missionários de Jesus em todos os lugares e para todas as pessoas que encontrarmos!

Sugestão de Música



Ideia para trabalhar esse Evangelho

Este é um lindo Evangelho para ser trabalhado com as crianças!! Como o mundo precisa de  verdadeiros missionários do Senhor!!

Após a explicação do Evangelho, sentar com as crianças para uma reflexão, respondendo essas perguntas:
- O que é ser missionário?
- João Batista foi missionário neste Evangelho?
- Como podemos ser missionários de Jesus??

A proposta é montar um kit missionário com tudo que as crianças forem falando!!

Oração

Querido Jesus,
Que alegria poder partilhar a minha vida com você!
Quero assumir a minha missão de te mostrar a todas as pessoas e o seu caminho de amor!
Que o Espirito Santo me ajude a ser fiel a esta linda missão!
Amém

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Evangelho de Mateus 2, 1-12

Missa de 07 de Janeiro de 2018

SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR


 
 Leituras

Primeira Leitura Is 60,1-6
Salmo (SL 71(72))
Segunda Leitura Ef 3,2-3a.5-6   
Evangelho Mt 2,1-12






reflejosdeluz11.blogspot.com.br



Mensagem Principal

Para ajudar a refletir e entender o evangelho de hoje:

Preparem-se... estamos preparando o alimento espiritual para os preferidos de Jesus: as crianças!



A análise dos vários detalhes do relato confirma que a preocupação do autor (Mateus) não é de tipo histórico, mas catequético.
Notemos, em primeiro lugar, a insistência de Mateus no facto de Jesus ter nascido em Belém de Judá (cf. vers. 1.5.6.7). Para entender esta insistência, temos de recordar que Belém era a terra natal do rei David e que era a Belém que estava ligada a família de David. Afirmar que Jesus nasceu em Belém é ligá-lo a esses anúncios proféticos que falavam do Messias como o descendente de David que havia de nascer em Belém (cf. Mi 5,1.3; 2 SM 5,2) e restaurar o reino ideal de seu pai. Com esta nota, Mateus quer aquietar aqueles que pensavam que Jesus tinha nascido em Nazaré e que viam nisso um obstáculo para o reconhecerem como o Messias libertador.
Notemos, em segundo lugar, a referência a uma estrela “especial” que apareceu no céu por esta altura e que conduziu os “magos” para Belém. A interpretação desta referência como histórica levou alguém a cálculos astronômicos complicados para concluir que, no ano 6 a.C., uma conjunção de planetas explicaria o fenômeno luminoso da estrela refulgente mencionada por Mateus; outros andaram a procura de um cometa que, por esta época, devia ter sulcado os céus do antigo Médio Oriente… Na realidade, é inútil procurar nos céus a estrela ou cometa em causa, pois Mateus não está a narrar fato histórico. Segundo a crença popular da época, o nascimento de uma personagem importante era acompanhado da aparição de uma nova estrela. Também a tradição judaica anunciava o Messias como à estrela que surge de Jacob (cf. Nm 24,17). Ora, é com estes elementos que a imaginação de Mateus, posta ao serviço da catequese, vai inventar a “estrela”. Mateus está, sobretudo, interessado em fornecer aos cristãos da sua comunidade argumentos seguros para rebater aqueles que negavam que Jesus era esse Messias esperado.
Temos ainda as figuras dos “magos”. A palavra gregos magos”, usada por Mateus, abarca um vasto leque de significados e é aplicada a personagens muito diversas: mágicos, feiticeiros, charlatães, sacerdotes persas, propagandistas religiosos… Aqui, poderia designar astrólogos mesopotâmios, em contacto com o messianismo judaico. Seja como for, esses “magos” representam, na catequese de Mateus, esses povos estrangeiros de que falava a primeira leitura (cf. Is 60,1-6), que se põem a caminho de Jerusalém com as suas riquezas (ouro e incenso) para encontrar a luz salvadora de Deus que brilha sobre a cidade santa. Jesus é, na opinião de Mateus e da catequese da Igreja primitiva, essa “luz”.
Além de uma catequese sobre Jesus, este relato recolhe, de forma paradigmática, duas atitudes que se vão repetir ao longo de todo o Evangelho: o Povo de Israel rejeita Jesus, enquanto que os “magos” do oriente (que são pagãos) O adoram; Herodes e Jerusalém “ficam perturbados” diante da notícia do nascimento do menino e planeiam a sua morte, enquanto que os pagãos sentem uma grande alegria e reconhecem em Jesus o seu salvador.
Mateus anuncia, desta forma, que Jesus vai ser rejeitado pelo seu Povo; mas vai ser acolhido pelos pagãos, que entrarão a fazer parte do novo Povo de Deus. O itinerário seguido pelos “magos” reflecte a caminhada que os pagãos percorreram para encontrar Jesus: estão atentos aos sinais (estrela), percebem que Jesus é a luz que traz a salvação, põem-se decididamente a caminho para O encontrar, perguntam aos judeus – que conhecem as Escrituras – o que fazer, encontram Jesus e adoram-n’O como “o Senhor”. É muito possível que um grande número de pagano-cristãos da comunidade de Mateus descobrisse neste relato as etapas do seu próprio caminho em direcção a Jesus.


http://www.dehonianos.org
 


Ideia de roteiro para teatro

(Entra Personagens A e B)

PA: Oi todo mundo!

PB: Oi

PA: Nossa PB que desânimo é esse?

PB: Ah PA você com essas suas idéias de trazer nossos melhores presentes de natal pra igreja, estou achando tudo muito estranho isso sim!

PA: Calma PB vou te explicar tudinho, fica tranquilo

PB: Então pode começar a explicar!

PA: Veja bem PB, eu ouvi na missa hoje o evangelho que fala dos três Reis Magos

PB: Ah é verdade eu também já fui à missa e ouvi esse evangelho que fala do Reis que levam presentes para Jesus

PA: Isso mesmo! Está espertinho hein PB, acho que esta rolando um pouquinho de inteligência ai nessa cabeça oca (risos)

PB: Cabeça oca quem tem é você ta PA!

PA: Está bem PB desculpe não consegui deixar passar a piada.

PB: Olha só você vai ou não me explicar o porquê dos presentes? Se não pego todos meus e levo embora

PA: Nossa mais ainda precisa explicar? História dos três Reis Magos, presentes e tal!

PB: Ah entendi, você acha que temos que deixar nossos presentes de Natal pra Jesus?

PA: Isso mesmo!

PB: Pensando bem acho que você tem razão, mas tem que ser todos? Não podemos ficar com nenhum? Poxa vida gostei tanto dos meus presentes

PA: Ah PB até podemos ficar com alguns, mas vamos separar os melhores pra Jesus.

PB: Beleza, combinado!

PA: Vamos começar separar os presentes então?

PB: Vamos!

(E começam a separar os presentes)

PA: Esse é pra Jesus, esse também, ah esse pode ficar pra mim...

(Catequista entra)

C: Oi crianças, tudo bem?

PA: Oi Catequista

PB: Oie

C: Crianças me contem como passaram de natal?

PA: Ah catequista foi muito bom, ganhamos muitos presentes

PB: É foi muito bom mesmo! Também ganhei bastante presente

C: Hum que ótimo! Então já que ganharam muitos presentes, vocês já separaram aqueles brinquedos que não brincam mais para doar para crianças que não ganharam nada?

PA: Ixiii ainda não C, mas prometo que assim que chegar em casa vou separar os brinquedos que não brinco mais e vou doar pra quem preciso.

C: Isso mesmo PA, parabéns! Não esqueça que não pode ser brinquedos quebrados, tem que estar em bom estado ok!

PB: Nossa C eu já doei os meus brinquedos que não uso mais, minha mãe antes do Natal já me pediu para separar todos! (e fica triste)

C: Que ótimo PB, sua mãe fez muito bem! Mas porque você ficou triste, não queria doar os brinquedos?

PB: Queria sim! Todo ano antes de ganhar meus presentes de natal minha mãe e eu separamos os brinquedos que não uso mais para doar e me sinto muito feliz em ver as crianças felizes.

C: Mas então por que está triste?

PB: Porque não sabia que teria que dar meus presentes para Jesus, agora vou ficar quase sem nada!

PA: Ai não exagera vai PB combinamos dar somente os melhores presentes para Jesus e não todos!

C: Crianças que história é essa de dar seus presentes pra Jesus?

PB: C o evangelho nos conta que hoje é dia em que os reis magos levam presentes pra Jesus, então pensamos em dar nossos presentes pra ele, assim ficará mais feliz com a gente!

C: Ah meus amores, vocês estão de parabéns viu! Realmente o evangelho de hoje nos fala sobre os Reis magos e os presentes que levaram a Jesus para louvá-lo e adorá-lo.

PA: Viu PB não disse que precisamos dar nossos  presentes para Jesus.

C: Então, mas na verdade vocês não precisam dar seus presentes para Jesus!

PB: Não?

C: Não! Jesus quer o nosso coração, o nosso amor e confiança

PA: Como assim?

C: Crianças, hoje a igreja celebra a Epifania do Senhor.

PA: Epifania? Quem é essa, é uma amiga de Jesus?

C: Não PA, Epifania não é uma pessoa!

PA: Não?

C: Epifania do Senhor é a festa que comemora a manifestação de Jesus Cristo como Messias – Filho de Deus e Salvador do mundo. Epifania significa aparição, manifestação, apresentação.

Ou seja, é o momento em que a igreja comemora a apresentação de Jesus Cristo aos povos, através da visita dos Reis Magos ao Menino Jesus.

PB: Como assim apresentar Jesus aos povos? Não são somente três Reis Magos?

C: Os três Reis Magos representam todos os povos e nações, eles foram chamados por Deus para adorar e apresentar Jesus a todos, eles foram guiados por uma estrela, chegaram a Belém, e ao ver o menino Jesus com Maria, ajoelharam se diante dele e o adoram. Esse foi o verdadeiro sentido da visita deles a Jesus, para adorá-lo!

PA: Adorar? Mas Jesus era um bebê!

C: Pois é, eles já sabiam da grande missão de Jesus, que ele era aquele que foi enviado por Deus.

PB: Ah então eles já sabiam que Jesus iria nos salvar?

C: Sim! Eles já sabiam que Jesus aquele bebê tão pequenino tinha uma grande missão, eles já sabiam que Jesus é o filho de Deus e Salvador do mundo.

PA: Por isso foram adorar Jesus! 

C: Isso mesmo!

PB: Mas e os presentes, porque eles levaram presentes para Jesus?

C: Em relação aos presentes oferecidos ao Menino Jesus, era uma forma de reconhecer quem realmente Ele é, e a missão que veio realizar entre os homens: cada presente significava um reconhecimento a Jesus; O Ouro simboliza sua realeza; o incenso sua divindade e a mirra sua humanidade.

PA:Bom, agora que já sei o verdadeiro sentido dos presentes já entendi que não precisamos dar nossos presentes, oba!

C: Não, não precisam! (risos)

PB: Oba!

C: Mas como disse no começo da nossa conversa, o que Jesus quer de todos nós é nosso reconhecimento que ele é a Luz do mundo e nosso salvador, que acreditemos nessa verdade e em seu amor por nós.

PA: Ah mais isso já está tranquilo, eu acredito que Jesus nos ama e que veio ao mundo para nos salvar.

PB: Eu também acredito.

C: Que ótimo crianças, fico muito feliz por demonstrarem tanto amor por Jesus.
E não esqueçam Jesus não quer presentes ele quer seu coração, seu amor e confiança.
Vamos rezar? 
PA e PB: Vamos!




Sugestão de Música




Ideia para trabalhar esse Evangelho

Presente para Jesus

Confeccionar uma caixa para cada criança
 
Os materiais são simples:
. papel grosso A4  
. cola
. tesoura
. lápis
. régua
. pregador de roupas

Caixinhas de papel


A primeira etapa é fazer o molde de acordo com o tamanho desejado
Molde da caixinha
LEGENDA:
. linha contínua = cortar
. linha pontilhada = dobrar
. X = ponto de cola

Imprima o molde em tamanho A4, se possível em um papel mais grosso. E, depois, com o lápis, passe um contorno marcando o papel colorido. Depois, recorte nas linhas contínuas.


Caixinhas de papel


Fica mais fácil marcar as dobras usando uma régua. Melhor ainda se você usar a tesoura ou outro material para frisar o papel e deixar a dobra bem marcada.

Caixinhas de papel


Nesta caixa, há apenas um ponto de cola, na aba lateral. Use pouca quantidade para não vazar e prenda as partes com um pregador até a cola secar.

Caixinhas de papel

 

Na tampa da caixa colar um papel com a frase 

Jesus, este é o meu melhor presente!
IREI SEMPRE TE AMAR, LOUVAR E ANUNCIAR 

Depois confeccione Corações de Origami 
UM CORAÇÃO PARA CADA CRIANÇA PARA QUE SEJA COLOCADO NA CAIXA


  1. Compre um papel de cartolina na cor vermelha e corte no formato de um quadrado, deixe na posição indicada na foto, como um diamante.
  2. Dobre o papel na metade horizontalmente.
  3. Novamente do dobre o papel, mas desta vez verticalmente.
  4. Agora dobre a ponta superior conforme é mostrado na imagem.
  5. Faça o mesmo com a outra ponta, mas dessa vez tampando a ponta superior que agora está no centro do quadrado.
  6. Deve dobrar a lateral direita da seguinte maneira, procurando fazer as dobraduras mais delicadas possível.
  7. Volte a fazer o mesmo trabalho no outro lado do futuro origami.
  8. Na parte detrás você vai poder conferir na seguinte maneira.
  9. Para continuar, dobre as pontas superiores e laterais para dentro.
  10. Pronto, agora basta voltar o papel para a posição original e você terá feito um coração de origami!

Tutorial de como fazer um coração de papel com origami

Em cada coração escrever;

Jesus meu coração te louva e te ama
Tu és minha Luz e Salvação.

Dinâmica

Pegar uma imagem de Jesus, de preferência na Manjedoura, mas se não tiver pode ser de qualquer outra imagem de Jesus.

Entregue primeiro o coração  para cada criança e depois a caixa
Peça para cada um segurar seu coração de origami e juntos conduza uma linda oração, incentivando as crianças o momento que estamos vivendo a Epifania do Senhor

Após a oração explicar para as crianças que a frase na tampa da caixa (Ler em voz alta) é um compromisso que eles estão selando com Jesus e entregando seu coração a ele.

Depois peça para colocarem o coração na caixa e levarem até Jesus, como gesto de presenteá-lo.

E pedir para repetirem a frase: Jesus este é o meu melhor presente, meu coração!
 

Oração
  
Jesus te recebo em meu coração e assim como os três Reis Magos eu irei te adorar e apresentar a todos ao meu redor, pois sei que assim estarei levando a todos a sua Luz e Salvação.
Amém.